sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

TEÍSMO, ATEÍSMO, CETICISMO E AGNOSTICISMO. O QUE É ISSO?







Ateu: É quem nega que haja deus ou alguma realidade que se possa chamar de divina. Também é um dogmático pois afirma uma verdade que tende a ser definitiva. Porém, este é um dogmático "negativo": enquanto o teísta afirma que há, o ateu afirma que não há. A maioria das pessoas que duvida da existência de deus se auto intitula ateu (erroneamente).








Cético: Os céticos se opõem ao conhecimento seguro. Duvidam da capacidade humana de afirmar qualquer coisa com certeza apodíctica, incluindo aí a existência de uma inteligência superior (e incluindo aí a própria certeza desta afirmação, o que geraria, para alguns, o paradoxo cético). A palavra deriva do verbo grego sképtomai que significa algo como "olhar cuidadosamente", "vigiar", "examinar atentamente". Logo, o cético seria "aquele que olha cuidadosamente" na sua busca pela verdade, antes de pronunciar-se sobre algo, antes de tomar alguma decisão. O fundamento da atitude cética é a cautela, o cuidado e a examinação.



Agnóstico: significa, literalmente, "aquele que não sabe". Agnosticismo é a postura daquele que "não sabe" ou "não pretende saber". O termo original foi usado para se opor àquelas doutrinas segundo a qual é possível conhecer mais coisas que a ciência permite. O agnóstico nega a possibilidade de conhecermos deus, diz que não temos métodos para conhecê-lo de modo válido.


Teísta: Usado aqui como todo aquele que crê em alguma deus, seja ele qual for. Vejam bem, independente de qual religião o indivíduo segue. É um dogmático pois afirma uma verdade que não pode ser contestada. Se inserem aqui qualquer pessoa que segue alguma religião, que não segue mas acredita em deus ou em uma forma superior de inteligência.

Um comentário:

  1. A posição default é a descrença. O correto é dizer que o ateu REJEITA divindades simplesmente por falta de evidenciamento que demonstre a existência de divindades. É simples assim. O ateu não nega, mas rejeita. Para que se negue, é necessário dispor de provas em contrario. Para que se rejeite, basta que não existam evidências que corroborem a uma determinada conjectura.

    Se alguém me disser que há uma xicara cor-de-rosa com bolinhas amarelas orbitando Saturno que causa enxaquecas em Dona Naná, eu posso simplesmente rejeitar tal afirmativa, dada a carência de qualquer evidenciamento.

    O que ocorre na prática é que ateus dizem que divindades não existem por simples questão de brevidade. Veja a quantidade de texto que escrevi aqui somente para mostrar a diferença entre rejeição e negação.

    ResponderExcluir